Notícias

Perfil de Carlos Chagas, um cientista de excelência: da Fiocruz para o mundo

Simone Kabarite
16/07/2020

Nascido em uma família de fazendeiros, na cidade de Oliveira, em Minas Gerais, no ano de 1879, Carlos Chagas foi um cientista que realizou pesquisas marcantes para o Brasil e o mundo. A biografia de Carlos Chagas é recheada de feitos que mudaram a ciência, como a descoberta da doença de Chagas, que acometia a população. Graças à descrição do ciclo da doença realizado por ele, a data de 14 de abril passou a ser reconhecida pela Organização Mundial da Saúde -  OMS-, em 2019, como o "Dia Mundial da Doença de Chagas".

A formação de Chagas se deu na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Mas, foi no antigo Instituto Soroterápico Federal, atualmente o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), sob orientação do médico Oswaldo Cruz, que Carlos Chagas realizou sua formação como cientista de excelência. Lá, dedicou-se a diversas pesquisas, como o estudo do ciclo evolutivo da malária no sangue e o combate da doença, além de ter sido o responsável pela criação de seções de pesquisa dedicadas a doenças tropicais e infecciosas.

Foi graças à primeira campanha de profilaxia contra a malária, realizada por ele na época de construção das Docas do Porto de Santos (SP), que em pouco tempo conseguiu controlar o surto. A campanha foi considerada a primeira antimalárica de resultados positivos registrada na história. No entanto, foi durante uma expedição a Lassance, Minas Gerais, onde operários que trabalhavam na estrada de ferro se contaminavam com a epidemia, que o pesquisador entrou em contato com a pesquisa de campo, que viria a ser a sua grande descoberta. Ele instalou sua casa e seu laboratório em um vagão de trem.

Carlos Chagas realiza pesquisa sobre a doença de Chagas em Lassance, Minas Gerais. (Foto: Casa de Oswaldo Cruz)

A cidade estava infestada por barbeiro, um inseto cuja principal característica é picar o rosto de pessoas durante a noite. O inseto se escondia nas fendas das casas de pau a pique, tipo de moradia característica de regiões do interior. Chagas identificou a presença de um protozoário, até então desconhecido, no intestino dos insetos, já em fase evoluída. O cientista deu o nome Trypanosoma cruzi  em homenagem a seu mestre Oswaldo Cruz, causador da tripanossomíase americana, conhecida como doença de Chagas, e com a descrição do ciclo da doença, tornou-se mundialmente conhecido. 

Para confirmar as moléstias causadas, Chagas examinou a menina Berenice de apenas dois anos, que sofria com febre alta, anemia aguda e mal estar. Ele detectou a presença do tripanossoma no sangue da pequena paciente. Pela primeira vez na história da medicina, um pesquisador conseguiu descrever por completo o ciclo da doença: identificou o vetor (o besouro conhecido como barbeiro), o agente causal (o protozoário Trypanosoma cruzi), o reservatório doméstico, a doença nos humanos e suas complicações. 
O feito ganhou nota publicada no Archiv für Schiff und Tropenhygiene, da Alemanha, e no Bulletin de la Société de Pathologie Exotique, da França. Em seguida, ganhou o prêmio Schaudinn, do Instituto de Medicina Tropical de Hamburgo, Alemanha, dado, a cada quatro, a mais importante contribuição em protozoologia

Com a morte de Oswaldo Cruz, Carlos Chagas se tornou diretor do Instituto em 1917. No ano seguinte, a gripe espanhola assolava a população, então, foi convocado pelo governo de Venceslau Brás para atuar contra a epidemia. Também foi encarregado pelo presidente Epitácio Pessoa de elaborar um novo código para a Saúde Pública. Com o novo Departamento Nacional de Saúde Pública (DNSP), criou diversos serviços especializados em saúde.

Também foi professor da Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, onde inaugurou a cadeira de moléstias tropicais e estabeleceu as bases do estudo de higiene. Carlos Chagas faleceu em 8 de novembro de 1934, no Rio de Janeiro, aos 55 anos, vítima de infarto. 

As contribuições de Carlos Chagas mudaram o rumo da história da ciência. Por isso, desde 2019, 14 de abril é o Dia Mundial da Doença de Chagas, quando o cientista é homenageado, graças ao grande legado que deixou e ao compromisso com a saúde pública da população. Confira fotos do cientista Carlos Chagas na Galeria de fotos.
 

Fonte para texto e fotos: IOC, COC e outros

Depoimentos

Galerias de fotos

Com 120 anos de existência, a história da Fiocruz é marcada por fatos grandiosos e relevantes para a ciência e saúde no Brasil. Mas também temos pequenas curiosidades a compartilhar, como o desenho que o próprio Oswaldo Cruz fez para o castelo e a foto que inspirou a estátua de Sérgio Arouca em frente ao Pavilhão Mourisco. Quer saber mais? Visite nossa galeria de curiosidades e celebre conosco os 120 anos da Fiocruz.